Chover no molhado

Ainda estamos no Verão, mas o debate (ou melhor, o encontro para tomar um café) de ontem entre Jerónimo de Sousa e Catarina Martins já lembrou a chuva que cai quando o chão está molhado. Foi chover no molhado. Foi simpático, mas não adiantou nada.
Aliás, este é o problema da esquerda. Na realidade, não consegue apresentar alternativas à presente política. E não consegue apresentar alternativas porque qualquer proposta séria à presente política implica uma mudança de paradigma: saída do euro, reformulação da presença na U.E., aliança de toda a esquerda (PS incluído), nacionalização da banca (que continua a ser um buraco negro na economia portuguesa), entre outros.
Porque para gerir o presente paradigma, a presente Coligação é a mais apta, apesar de todos os sobressaltos, e são muitos. Neste momento existe uma espécie de cenário cor-de-rosa que foi habilmente (e com sorte) montado, mas que mais lá para a frente vai desaparecer…E este é o grande problema destas eleições.

Rui Verde

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Quem tramou Joana Marques Vidal? Sócrates ou Manuel Vicente?

Pedro Passos Coelho: o estadista com azar

Universidade Independente e Sócrates: Não há Justiça. Só teatro trágico.