Os ladrões de oportunidades: Sócrates e Costa

Costa e Sócrates são "farinha do mesmo saco". Ambos perante um país em chamas só conseguem arvorar um sorriso estulto e dizer que está tudo no melhor dos mundos. A realidade é que se engana, eles estão certos.
Com Sócrates assistimos ao desbaratar completo que as oportunidades criadas pelas taxas de juro baixas e a presença no Euro (moeda) permitiam. Tudo se traduziu em negócios sem valor acrescentado e negociatas com valor acrescentado para os bolsos de alguns, e redundou num país falido.
Lá veio Passos Coelho, soldadinho obediente dos alemães; fez o que estes mandaram para recuperar o crédito e voltar a ter dinheiro. Pode-se discordar com ele e com os alemães, mas não se pode pensar que uma moeda como o Euro sobrevive sem o poder alemão por detrás e a garantia de fidúcia e restrição que esta oferece. I.e. o Euro é Alemanha, se queremos estar no Euro temos que defender uma moeda forte e seguir a Alemanha. Daqui não há retorno. A alternativa é sair do Euro. Mas enquanto, o país não quiser essa alternativa tem que seguir o roadmap alemão.
Ora o que é que  Costa fez? Simplesmente, revogar, reverter, exterminar todas as medidas tomadas por Passos Coelho a "conselho" alemão e instaurar um espírito de laxismo e deixa andar na economia e sociedade portuguesas. Ora fazendo o contrario do que tinha sido exigido, o que é que Costa está a fazer? Obviamente a retirar todos os elementos de confiança que tinham sido colocados por Passos Coelho. Não admirará por isso que a envolvente externa (política e mercatória) esteja a ficar nervosa. Portugal estava no bom caminho,pensavam, a trabalhar mais horas, a fazer sacrifícios, a terminar com empresas públicas ineficientes, a tentar racionalizar o país. De repente, passou a trabalhar menos, a deixar de querer fazer sacrifícios,etc. Num clima económico normal, isso até poderia fazer sentido, mas no nosso contexto, o que Costa está a fazer é roubar a oportunidade que Passos Coelho e os alemães tinham dado. Toda a gente gozou com a famosa fotografia de Gaspar a agachar-se perante Schauble e este a dizer que nos ia compensar...Pois agora saímos desse registo, para a terra da negação.
Claramente, os socialistas não estavam preparados para vir para o poder, não aprenderam nada com os disparates anteriores.

Temístocles Menor

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Quem tramou Joana Marques Vidal? Sócrates ou Manuel Vicente?

O mistério de Luís Delgado e da Impresa

O fim do jornalismo português(2)