Novo Banco de volta aos Espírito Santo

Mais uma vez, Marques Mendes, porta-voz de interesses financeiros ainda por descortinar deu a novidade: Os Espírito Santo vão voltar a comandar o Novo Banco.
Obviamente, que ele não deu a novidade desta forma crua. Anunciou que as variadas propostas apresentadas para o Novo Banco não serviam, pelo que restaria apenas a proposta fora do concurso apresentada pelos chineses, e seria essa provavelmente a vencedora.
A questão que se coloca é quem são os "chineses" e que proposta é esta ?
Aparentemente, a proposta dos "chineses" consiste num aumento de capital e não numa compra, em que o Estado ficaria parceiro, como aliás acontece na TAP, em relação aos privados. Portanto, começa por ser uma diluição do risco do Estado, mas não uma passagem do Novo Banco para novas mãos. Como vantagem, o Novo Banco receberia dinheiro fresco e novo. Como desvantagem, o Estado e o Fundo de Resolução não recebiam nada. Ficavam com uma participação no Novo Banco.
Parece que os chineses se chamam China Minsheng Financial, empresa liderada por um Sing Wang. 
O curioso é que o banco que representa estes chineses é o Haitong Bank, que por acaso era o antigo Banco Espírito Santo Investimento, liderado por José Maria Espírito Santo Ricciardi, que continua a liderar o Banco. I.e. a face visível dos chineses que compraram o Haitong e agora adquirirão uma posição relevante no Novo Banco é um Espírito Santo, neste caso do ramo liderado pelo Comandante Ricciardi. 
Os Espírito Santo não foram acusados de qualquer crime, e se o forem gozam de todas as presunções da inocência. E não é por haver fortes suspeitas de comportamentos menos lícitos por parte de Ricardo Salgado, que toda a família deve ser punida ou tornada suspeita.De forma alguma se pode admitir a sippenhaft nazi.
Todavia, é interessante realçar o que se está a passar. Um Espírito Santo já está à frente do antigo banco de investimento dos Espírito Santo e está a negociar a aquisição do "velho" BES, Novo Banco, podendo eventualmente ficar à frente deste também. É obra.
Quanto aos chineses, podem ser máscaras chinesas, paredes chinesas, tigres de papel, ou verdadeiros. Não se sabe. Mas o que se sabe é que face à perseguição sem quartel que os norte-americanos estão a fazer aos movimentos de lavagem de dinheiro, muitas fortunas se têm ido acantonar mais para os lados de Macau e Hong-Kong, onde o longo braço americano não chega. Isso tem acontecido com investidores angolanos, que agora aparecem como "chineses" e pode acontecer com muitos outros. 
Se há mais mascarados de chineses, não se sabe. Mas pode haver.
Em resumo, pode-se especular e acompanhar com interesse desvelado que os Espírito Santo através do ramo Ricciardi estão prestes a retomar o controlo do BES, depois de terem mantido o BESI.

Rui Verde 


Comentários

Mensagens populares deste blogue

Como o politicamente correcto está a matar a democracia (1): a nova censura

Quem tramou Joana Marques Vidal? Sócrates ou Manuel Vicente?

Pedro Passos Coelho: o estadista com azar