Se eu fosse Passos Coelho

Se eu fosse Passos Coelho deixava-me estar sossegado à espera da conclusão do desastre que está em curso. 
Enquanto, Portugal estiver na U.E. e no Euro a beneficiar das suas vantagens, tem que se adaptar às suas desvantagens. Porque fazer de modo diferente tem como resultado a estagnação e a crise.
Claramente, o sinal que Costa deu aos investidores e aos mercados (não gostam deles, mas são eles que emprestam dinheiro para o Estado Social...) foi o de que não os levava a sério. E se ia entreter a desfazer o que Passos Coelho e os alemães tinham laboriosamente construído. A partir daí Costa não vai ver investimento, não vai ver recuperação económica, não vai ver nada. Vai andar a correr de uma crise para outra, de um desmentido de números para outro, e a situação vai-lhe fugindo das mãos.
O Presidente da República é um grande inteligente, mas não percebe economia, e a formação católica impede-o de entender os mercados, portanto, não é grande ajuda.
Se eu fosse Passos Coelho não fazia mais nada senão esperar...

Temístocles Menor

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Quem tramou Joana Marques Vidal? Sócrates ou Manuel Vicente?

Porque é que Costa e o seu PS ainda continuam a precisar de eleições antecipadas?

O mistério de Luís Delgado e da Impresa