Tomate renovado

O Tomate entra 2018 renovado. Mantém alguns membros da antiga redacção e acrescenta outros. 

O combate vai prosseguir. A liberdade, a felicidade e o progresso estão debaixo de ameaça e de sufoco.

Portugal não encontra o seu rumo. Volta a viver uma época de fingimento e abafamento. 

Pensava-se que os casos Sócrates e Ricardo Salgado tinham alertado o país e a população para a fragilidade do Estado de Direito, para a necessidade de a vida pública ser objecto de um escrutínio apurado e de reforçada transparência, rigor e exigência.
No fim de contas, nada disto aconteceu. Todos querem papas e descanso, e entregaram o país a um caldo corporativo que lembra o pior do Estado Novo. Temos um Presidente da República que disfarça a vacuidade e opacidade do regime em afectos. As emoções tomaram conta da racionalidade política, para disfarçarem a sua inexistência. Quanto ao governo, vai sobrevivendo graças aos ventos que sopram para lá dos Pirinéus, mas não faz, aguenta-se, paulatinamente vai deixando restaurar a "sopa pantanosa" que caracterizou o regime democrático após 2000. Com Sócrates ou sem Sócrates, com Salgado ou sem Salgado, voltamos ao compadrio, à manipulação, à modorra e à mesclagem.

As estatísticas que parecem boas, não convencem ninguém. Os jovens continuam sem trabalho, o país sem produzir e o nível de vida sem subir.

Portugal pode e deve ser melhor, mas com outras políticas e outros políticos.

Por isso, o Tomate está de volta!

Comentários

  1. Parabéns pela renovação efectuada!
    E pelo afã em prosseguir o combate a esta "época de fingimento e abafamento".

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Quem tramou Joana Marques Vidal? Sócrates ou Manuel Vicente?

Pedro Passos Coelho: o estadista com azar

Universidade Independente e Sócrates: Não há Justiça. Só teatro trágico.